DEPARTAMENTO DE FÍSICA

 

Qualidade, Ambiente, Segurança e Lic. Industrial - EF

Ano letivo: 2013-2014
Especificação técnica - ficha curricular

Elementos especificos
código da disciplinaciclo de estudossemestre lectivocréditos ECTSlíngua de ensino
2004076226pt


Objectivos formativos
Pretende-se com esta disciplina proporcionar uma visão integrada do Universo da Qualidade, cobrindo os seus princípios básicos e fundamentos, ferramentas e metodologias, bem como a sua implementação prática no mundo real, através da adopção de referênciais de qualidade adequados, com ênfase naquele proporcionado pelas normas NP EN ISO 9000, mas também referindo a utilização de modelos de excelência que estimulam e orientam a implementação da Qualidade Total dentro das organizações, como o modelo da EFQM, ou iniciativas de melhoria contínua, como o seis-sigma.

Espera-se assim que os alunos, após frequência desta cadeira, adquiram os conhecimentos necessários para compreender, conceber, implementar e participar na operacionalização da Qualidade, tanto do ponto de vista teórico como prático. Tal inclui uma capacidade acrescida de integração e adaptação rápidas, caso venham a estar futuramente ligados profissionalmente a esta área, directa ou indirectamente.
Programa genérico mínimo
I. Fundamentos e Princípios da Qualidade. Definição de Qualidade. Breve nota histórica relativamente à evolução do conceito de qualidade ao longo dos tempos. Componentes de um sistema de gestão da qualidade. Os 8 princípios da qualidade segundo as normas NP EN ISO 9000:2000.

II. Engenharia da Qualidade: Ferramentas e Metodologias. As 7 ferramentas básicas da qualidade. Revisão de conceitos estatísticos. Controlo estatístico de processos. Outras ferramentas da qualidade (Análise Modal de Falhas e Efeitos (AMFE), Metrologia, Estudos R&R, Planeamento de Experiências)

III. Gestão da Qualidade. Introdução aos sistemas de Gestão da Qualidade. Normas NP EN ISO 9000:2000. Normas NP EN ISO 14000. Modelos de Excelência (EFQM). Seis-sigma.




Pré-requisitos
Estatística Básica
Análise Matemática, Álgebra (aconselhado, mas não essencial)
Competências genéricas a atingir
. Competência em organização e planificação;
. Competência em trabalho em grupo;
. Adaptabilidade a novas situações;
. Criatividade;
. Preocupação com a qualidade;
. Competência em raciocínio crítico;
. Competência em aprendizagem autónoma;
. Competência em aplicar na prática os conhecimentos teóricos;
. Competência em planear e gerir;
. Competência em autocrítica e auto-avaliação;
(por ordem decrescente de importância)
Horas lectivas semestrais
aulas teóricas30
aulas teórico-práticas30
total horas lectivas60

Método de avaliação
Mini testes16 %
Exame49 %
Outros35 %

Bibliografia de referência

Feigenbaum, A., Total Quality Control, Terceira Edição, McGraw-Hill (1991).
Fey, R. e J. Gogue, Princípios da Gestão da Qualidade, Fundação Calouste Gulbenkian (1989).
Gryna, F., Quality Planning and Analysis, Quarta Edição, McGraw-Hill (2001).
Hardjono, T., S. Have e W. Have, The European Way to Excellence, European Quality (1997).
Juran, J. and A. Godfrey, Juran´s Quality Handbook, Quinta Edição, McGraw-Hill (1999).
Saraiva, P. e João Orey, Inovação e Qualidade, Sociedade Portuguesa de Inovação (1999).
Método de ensino
As aulas teóricas consistem na exposição dos conteúdos programáticos da disciplina com o auxílio de meios audiovisuais, nomeadamente apresentações Powerpoint, projecção de acetatos, simulações computacionais, complementados, quando oportuno, com exemplificações práticas dos métodos de análise abordados usando, por exemplo, ferramentas computacionais dedicadas. Procurar-se-á ainda trazer algumas pessoas com reconhecida competência nos assuntos leccionados, em particular na sua vertente prática, para que, com a partilha das suas experiências, permitam colocar em íntimo contacto os conceitos leccionados e a sua concretização, o que poderá ser reforçado através da realização de visitas de estudo.
O processo de aprendizagem decorrerá a três níveis: individual, em grupo e no todo dos alunos presentes na cadeira, sendo os alunos chamados a intervir a estes níveis, e a avaliação coerente com este funcionamento. Alinha-se assim a cadeira com a realidade do mundo de trabalho, onde serão exigidas aos futuros licenciados capacidades ao nível do trabalho conduzido individualmente, em equipa e no cumprimento de objectivos estratégicos para a organização.
Os alunos serão assim frequentemente chamados a participar nas aulas e na sua melhoria, nomeadamente através da apresentação de trabalhos realizados individualmente ou em grupo, para que também assim disponham de mais oportunidades para participar activamente na disciplina e melhorar as suas próprias capacidades de comunicação.
As aulas teórico-práticas funcionarão como aulas de continuidade relativamente às aulas teóricas, para as quais se reservam a exposição das vertentes mais práticas dos diversos assuntos, sem que no entanto haja uma ruptura no estilo de funcionamento e métodos de aprendizagem. Os alunos terão no entanto uma participação mais activa nestas aulas, nomeadamente através da realização de tarefas individuais durante a mesma.
Recursos específicos utilizados
Sistemas de projecção (data-show e projector de acetatos):