DEPARTAMENTO DE FÍSICA

 

História das Ideias em Química - EFQ

Ano letivo: 2012-2013
Especificação técnica - ficha curricular

Elementos especificos
código da disciplinaciclo de estudossemestre lectivocréditos ECTSlíngua de ensino
2006237223pt


Objectivos formativos

Conhecer conteúdos específicos na área de estudo.
Conhecer meios de comunicação das ideias científicas
Conhecer e evolução dos instrumentos científicos e das metodologias experimentais
Reconhecer o papel do conhecimento tácito na criação de tradições científicas em química.
Relacionar o desenvolvimento científico com aspectos tecnológicos e sociais.
Relacionar o desenvolvimento das ideias em Química com o modo dogmático do ensino das ciências e a sua expressão em paradigmas científicos.
Reconhecer a controvérsia científica como o nicho ecológico onde se articulam os papéis da autoridade, da tradição e da originalidade em ciência.
Programa genérico mínimo

Os papéis da Química: Ciência Oculta, Mecanicista, Independente, Fundamental, Revolucionária ou indutiva(?), Experimental, de Utilidade, Dedutiva, Descritiva e classificativa, de Ensino, Redutível, de serviço. A conquista de territórios. A conquista do social. A importância da controvérsia científica. Epistemologia da Química.
Pré-requisitos
Competências genéricas a atingir
. Competência em organização e planificação;
. Conhecimento de uma língua estrangeira;
. Competência para resolver problemas;
. Competência em aprendizagem autónoma;
. Competência em investigar;
. Competência em comunicação oral e escrita;
. Conhecimentos de informática relativos ao âmbito do estudo;
. Competência para comunicar com pessoas que não são especialistas na área;
. Competência em entender a linguagem de outros especialistas;
. Compromisso ético;
. Preocupação com a qualidade;
(por ordem decrescente de importância)
Horas lectivas semestrais
aulas teóricas30
total horas lectivas30

Método de avaliação
Trabalho de síntese25 %
Exame50 %
Outros25 %

Bibliografia de referência

Aaron Ihde, The Development of Modern Chemistry, Harper & Row, 1964.
J.R. Partington, A Short History of Chemistry, MacMillan, 1937.
W. Brock, The Fontana History of Chemistry, Fontana, 1992.
Hugh Salzberg, From Caveman to Chemist, ACS, 1991.
John Servos, Physical Chemistry from Ostwald to Pauling, Princeton, 1990.
Keith Laidler, The World of Physical Chemistry, Oxford, 1993.
Bernardette Bensaude-Vincent e Isabelle Stengers, História da Química, Instituto Piaget, 1992.
David Knight, Ideas in Chemistry, The Athlone Press, 1995.
Alexander Roob, Alquimia & Misticismo, Taschen, 2001.
Amorim da Costa, Alquimia. Um discurso religioso, Janus, 1999.
Método de ensino

Esta unidade curricular visa dotar o estudante com conhecimento indispensável sobre as ideias em Química, tendo em vista a formação dos estudantes na componente relativa à evolução do pensamento científico. Diversas culturas contribuíram para uma compreensão progressivamente mais perfeita dos fenómenos da natureza, tendo a Química assumido um papel destaque.
Acresce que a Química é possivelmente a ciência que melhor permite estudar a formação de ideias e conceitos científicos, metodologias científicas, práticas industriais, etc. ao longo da história do homem. Sem dúvida que os filósofos das ciências têm priveligiado a Física como o modelo científico por excelência. A Química desempenha, contudo, um papel muito mais rico e diversificado na histórias das ciências, pois nela se articulam o carácter explítico de uma ciência positiva com os de uma arte com critérios mais imprecisos.
As explicações científicas obedecem a certos critérios, devendo ser consistentes com as evidências experimentais e observações dos fenómenos da natureza. Pretende-se, com esta unidade, sensibilizar os estudantes para a natureza do conhecimento, bem como da evolução das teorias científicas e o papel da controvérsia científica nesta evolução. A História das Ideias em Química é apresentada como um empreendimento humano, resultante do contributo individual e de comunidades científicas que também reflectem as preocupações sociais e éticas de uma determinada época.
Recursos específicos utilizados
Meios audiovisuais e computadores.