DEPARTAMENTO DE FÍSICA

 

Complementos de Física Nuclear - Fc

Ano letivo: 2005-2006
Especificação técnica - ficha curricular
N.B. estas fichas estão definidas apenas desde 2007 (acordo de Bolonha).

Elementos especificos
código da disciplinaciclo de estudossemestre lectivocréditos ECTSlíngua de ensino
123pt


Objectivos formativos
Sensibilização para o processo de aquisição e desenvolvimento do conhecimento da realidade física através da experimentação (da observação experimental ao conceito ou princípio físico), com recurso a alguns exemplos de conceitos básicos estudados nas disciplinas de Física Geral.

Na disciplina atribui-se uma importância central ao desenvolvimento das competências laboratoriais e de análise de dados adquiridas na disciplina de Técnicas Laboratoriais de Física, através da aquisição de novas sensibilidades relativas a: Montagem de experiências; Utilização de instrumentos de medida; Dimensionalidade das grandezas físicas envolvidas; Identificação dos erros, sistemáticos e aleatórios, e das limitações decorrentes do processo experimental utilizado; Enquadramento desses erros e limitações na análise dos dados; Interpretação e modelização de resultados.
A disciplina deve ainda desenvolver as seguintes competências de importância secundária:
Organização e metodologia: incentivo à programação de medidas, recolha e armazenamento de dados, e à manutenção de um livro de notas.
Comunicação científica, através da redacção de relatórios escritos de apresentação, discussão e interpretação dos resultados experimentais.
Programa genérico mínimo
Realização de uma série de trabalhos experimentais nas áreas da Mecânica, da Electricidade e da Óptica e Fenómenos Ondulatórios, enquadrados nos conteúdos leccionados nas disciplinas de Física Geral I e II.
Em cada área temática, serão realizados 3 ou 4 trabalhos laboratoriais com uma duração máxima prevista de 2 horas por trabalho. O restante tempo da aula (1 hora) será dedicado à análise e discussão dos resultados com vista à elaboração posterior do relatório correspondente.
Pré-requisitos
Física Geral I
Frequência simultânea de Física Geral II
Competências genéricas a atingir
. Competência em análise e síntese;
. Competência em raciocínio crítico;
. Adaptabilidade a novas situações;
. Preocupação com a qualidade;
. Competência em investigar;
. Competência em organização e planificação;
. Competência em comunicação oral e escrita;
. Competência para resolver problemas;
. Competência em trabalho em grupo;
. Competência em aplicar na prática os conhecimentos teóricos;
(por ordem decrescente de importância)
Horas lectivas semestrais
aulas práticas laboratoriais45
total horas lectivas45

Método de avaliação
Trabalho laboratorial ou de campo70 %
Outros30 %

Bibliografia de referência
M.C. Abreu, L. Matias e L.F. Peralta, Física Experimental - Uma introdução, Lisboa, Editorial Presença (1994).

M. Alonso e E. Finn, Física, Addison-Wesley Iberoamericana (1999).

Paul Tipler, Física, Editora Guanabara-Koogan, 4ª Edição (2000).

M.M.R.R. Costa e M.J.B.M. de Almeida, Fundamentos de Física, Coimbra, Livraria Almedina (1993).

N. Ayres de Campos, Introdução à análise de dados, Departamento de Física, U.C.
Método de ensino
Grupos de trabalho constituídos por dois alunos. Cada grupo realiza um determinado número de trabalhos práticos de acordo com um sistema rotativo definido na primeira aula.

Os trabalhos práticos são previamente preparados pelos alunos, sendo possível eles realizarem visitas de reconhecimento ao laboratório onde a montagem experimental respectiva está instalada.

Durante a execução do trabalho prático (previsto para 2h), os alunos são aconselhados a possuir um caderno de notas, individual ou de grupo, no qual devem anotar as particularidades da execução experimental não referidas no guião da experiência, as possíveis falhas ou fontes de erro características da metodologia e do sistema experimental utilizados e todos os resultados obtidos.

A última hora de aula deve ser dedicada à análise e discussão dos resultados obtidos tendo em vista o objectivo do trabalho. Isto inclui necessariamente a ponderação das fontes de erro experimental e a realização dos cálculos e gráficos necessários à discussão dos resultados entre os elementos do grupo e com o professor.

Por último, depois da aula, cada grupo deverá elaborar um relatório que não deve deixar de incluir o objectivo do trabalho, a apresentação dos resultados em gráficos e tabelas e a respectiva análise e discussão.

O relatório deverá ser entregue na aula seguinte.
Recursos específicos utilizados
. Equipamento laboratorial adequado aos trabalhos programados, em número suficiente para o funcionamento simultâneo e independente dos grupos de trabalho organizados.
. Guiões dos trabalhos práticos
. Notas de apoio e bibliografia específica de acordo com os conteúdos envolvidos em cada trabalho prático
. Caderno de notas (logbook)
. papel milimétrico
. máquina de calcular, régua, lápis, borracha e esferográfica.